Apesar de uma queda no índice de mortalidade de micro e pequenas empresas em São Paulo, o número ainda é grande. Segundo pesquisa realizada pelo Sebrae: 27% das empresas paulistas fecham ainda no primeiro ano de atividade.

pesq_tx_mortalidade

 

A pesquisa identifica também algumas ações necessárias para a redução da mortalidade de empresas.

1. Estimular o comportamento empreendedor nos cidadãos
– Disciplinas específicas de empreendedorismo nas escolas

2. Estimular o planejamento do negócio antes da abertura
– Elaboração dos Planos de Negócio

3. Maior capacitação em gestão empresarial, para quem já abriu seu negócio
– Relacionamento com clientes; estratégia de comunicação; o monitoramento sistemático do fluxo de receitas e despesas; a administração adequada do saldo de caixa; o controle detalhado dos custos; adequada precificação; maior
busca por apoio profissional.

4. Ampliar os instrumentos e as políticas de apoio aos pequenos negócios, em especial aqueles direcionados aos de menor porte e mais recentes
– “ABRI MINHA EMPRESA! E AGORA?”
– Novas ações que reduzam o peso dos impostos e dos encargos, a burocracia, que aumentem o acesso ao crédito e a ampliação de mercados
– Aperfeiçoamento/implantação da Lei Geral das Micro e Pequenas Empresas
– Outras reformas necessárias à melhora geral da economia (p. ex. tributária, trabalhista, previdenciária, melhoria da qualidade nos gastos públicos e ampliação dos investimentos públicos, em especial, nas áreas de educação e saúde)

5. Crescimento contínuo e moderado da economia (com estabilidade de preços); e

6. Evitar que os problemas pessoais dos sócios afetem o negócio.

Consulte a Pesquisa completa realizada pelo Sebrae-SP

Avatar
CEO da Vega Web