Depois de várias idas e voltas do PHP Group, equipe que desenvolve o PHP, para o lançamento de uma nova versão da linguagem (levando mais de uma década), chegou em dezembro de 2015 a versão 7 do PHP. Durante esse período, os desenvolvedores viram suas esperanças frustradas com a famigerada versão 6, que nunca foi e nunca será implementada. Depois de tanto tempo, o que mudou com o novo PHP 7? Vamos fazer uma análise, não só pela ótica dos desenvolvedores, mas também para os clientes que compram projetos que rodam na nuvem, sites e lojas virtuais, ou qualquer aplicação desenvolvidos com a linguagem.

Linguagem PHP 7

Dependendo de como sua aplicação foi escrita, ajustes serão necessários, em razão das mudanças significativas quanto ao acesso ao banco de dados e de como os objetos que são interpretados nesta nova versão. Por outro lado, temos que admitir que o PHP 7 se tornou uma linguagem ainda mais robusta, destacando os retornos de erro relacionados à escrita do código. Anteriormente toda a aplicação era comprometida ao ocorrer um erro de digitação no código, impedindo sua execução e geralmente parando em uma tela com a lista de erros ecoados pelo “parse” do PHP. Na versão 7 este erro é de certa forma “isolado” e retornado na tela, mas a aplicação continua sendo executada normalmente, à medida do possível.

Um PHP 9 vezes mais rápido!

Outro aspecto muito significativo é o desempenho extremamente superior às versões anteriores, podendo multiplicar por 9 a velocidade de processamento. No entanto, dependendo de como sua aplicação foi escrita ou em qual ambiente o PHP está rodando (estrutura do servidor, link, etc.), este desempenho pode ser pouco sentido.

Provavelmente algumas dúvidas podem surgir como: “Eu preciso realmente atualizar minha aplicação para PHP 7?”. Considerando que estamos falando de uma aplicação na Internet, em nuvem, é evidente que em determinado momento, seja por segurança, por desempenho ou até mesmo pelo ambiente no servidor, teremos que atualizar nossa aplicação para os padrões do PHP 7. Portando, devemos considerar esta condição em nosso planejamento estratégico, principalmente se esta aplicação contempla a gestão de alguma área importante de sua empresa ou em seu negócio.

Pensando assim, vem outra questão: “Quando eu devo atualizar para o PHP 7?”. Não faz nem dois meses que a nova versão foi lançada oficialmente e a linguagem precisa passar por um processo de maturação para que eventuais falhas venham a ser corrigidas e, assim, termos uma condição mais estável na execução de nossas aplicações. Sendo assim, agora não seria o momento mais adequado para um upgrade. Uma recomendação para aqueles que querem logo resolver esta questão: fazê-lo no próximo semestre seria um tempo mais seguro. Para os conservadores, o ano que vem. Mas para aqueles que querem deixar para os “45 minutos do segundo tempo”, ou seja, para o último momento, sendo muito generosos, podemos indicar dois anos e não mais do que isso!

Em resumo, pode-se dizer que vale a pena mudar para o PHP 7. E para os desenvolvedores como eu, é muito bom ver uma evolução na linguagem trazendo soluções para as demandas da comunidade. Com toda a certeza, o mercado poderá confiar ainda mais na linguagem que dominou a Internet no mundo inteiro.

Avatar
CEO da Vega Web